Temas prováveis de serem cobrados no ENEM 2013

Ciências da natureza

“Em Biologia, por exemplo, o foco principal é o aquecimento global, a geração de lixo, a escassez de água. A ecologia é muito importante”, explicou, sem deixar de lado tópicos como biotecnologia e novas doenças virais.

“O Enem não é muito interdisciplinar, às vezes é um texto de uma temática para várias matérias, mas são questões diferentes”, pontuou.

Ainda nas Ciências Naturais, o meio ambiente serve de gancho para uma série de assuntos. “Na química, tem o viés orgânico, como o combustível fóssil”, exemplificou Emanuel.

No caso da Física, a interpretação deve vir a partir do conhecimento básico. “A eletricidade vai puxar a questão ambiental, com assuntos relativos a hidrelétricas, energia nuclear e termologia”, listou o professor.

Ciências Humanas

Para Ciências Humanas, esqueça a geografia física pesada ou datas a serem gravadas.

“É uma prova muito moderna no sentido de temas contemporâneos. Não há uma quantidade grande de nenhum assunto, são mais coisas da geopolítica atual”, descreveu a professora de Geografia do colégio Oficina Márcia Kalid.

No caso da Geografia, a preocupação ambiental vem ainda com mais força. “Sustentabilidade, agricultura brasileira e estrutura agrária têm grandes chances”, pontuou Márcia.

Característica das provas do Enem, a leitura de gráficos e textos também é cobrada no conteúdo de Humanas. “A prova faz um passeio pelo programa de Geografia e, além do conhecimento, o aluno precisa interpretar gráficos e textos”, pontuou a professora.

Em História, o professor Edgar Chaves, do Sartre COC, listou uma série de assuntos que têm mais chances de serem cobrados no exame. “Em História do Brasil, tem que estudar a colonização, o ciclo da cana-de-açúcar e a escravidão”, especificou, acrescentando fases como a Revolução Industrial, a República Velha e a Era Vargas.

O professor aconselhou também atenção aos textos. “As gravuras e os enunciados fazem parte da pergunta, algumas respostas podem estar neles”, justificou.

Apesar de ser uma disciplina que aborda assuntos antigos, a prova de História também traz atualidades, e os conflitos que acontecem entre os países não podem deixar de ser acompanhados. “O Enem quer o aluno bem informado, múltiplo”, resumiu o professor.

Matemática

A tão temida Matemática nem sempre é o bicho de sete cabeças do exame. Isso porque os grandes cálculos e as fórmulas decorebas não são o ponto forte.
“Os principais assuntos são análise combinatória, probabilidade, estatística e muitas questões de raciocínio lógico. Algumas questões vão precisar das fórmulas, mas não é o principal”, revelou o professor Denilton Correia, do colégio Sartre COC.

Os exercícios matemáticos vão precisar de atenção extra do aluno. Além da base de conhecimentos necessária, a concentração pode render alguns minutos extras se o resultado puder ser identificado apenas com a leitura.

“Sempre tem interpretação de gráficos e, às vezes, ele já te dá a resposta”, exemplificou o professor Janilton Alves, do colégio Pinto de Aguiar.

Como, no Enem, o peso das questões será designado de acordo com o número de acertos que ela tiver entre todos os participantes (quanto mais acertos uma questão tem, menor peso), os professores sugerem que se resolvam as mais fáceis de imediato. “O aluno tem que resolver logo aquilo que ele perceber que a maioria vai conseguir resolver. As mais difíceis vão ser o diferencial”, destaca Denilton.

Linguagens

Na prova de Linguagens, a interpretação é o principal requisito. “Do outdoor ao vídeo do Youtube, o aluno tem que interpretar e discutir tudo”, sentenciou a professora de Português Paula Barbosa, do Sartre COC. “Não existe a forma de cobrança antiga. É Linguagem, Códigos e suas Tecnologias”, explicou.

Dentro de Linguagens existe um leque de temas que podem ser explorados, como história da arte, patrimônio cultural, variações linguísticas e outros traços da cultura.

Como a prova sempre traz textos, ilustrações ou charges para contextualizar os itens, um assunto de provável abordagem são os gêneros textuais. “Tirinhas, crônicas, propagandas. Tudo pode ser interpretado e, se o aluno entende isso, ele vai embora”, ressaltou a professora.

A Língua Estrangeira também requer concentração do aluno. Para avaliar o domínio de um segundo idioma, o Enem costuma trazer textos em inglês e cobrar as respostas na língua portuguesa. “Sempre tem muito texto e o foco é no entendimento”, definiu a professora Zenaide Ribeiro, do colégio estadual Luis Viana.

Por fim, os educadores ressaltam que parte dos estudos não está necessariamente em livros ou salas de aula.

O grande apelo para a atualidade pede que o aluno também se esforce para se manter informado. Ler revistas e jornais, assistir a noticiários e até ir ao cinema e teatro podem acrescentar a bagagem cultural necessária para uma boa performance na prova.

“O aluno tem que ir além do material que está nos livros. É uma prova de entendimento e interpretação”, sentencia a professora Márcia Kalid.

---

Fonte: O CORREIO 24 horas

0 comentários:

Postar um comentário