Confira as profissões com os maiores salários - Primeira parte

       Ano de ENEM, todos já devem ter em mente qual será o curso que irão prestar. Nessa escolha, um dos fatores que pesa para a maioria dos vestibulandos é quanto é a renda média de cada profissão. 

       Apresentaremos para vocês, nesta primeira parte, as profissões que mais e que menos tiveram aumento de remuneração média, durante o período compreendido entre 2000 e 2010. Depois, apresentaremos, em uma segunda parte, quais são as profissões, segundo estudo da FGV - Fundação Getúlio Vargas -, que possuem os melhores salários.

       A Brasil Investimentos & Negócios (BRAiN) aprensentou estudo entitulado de “Talentos – As profissões e o mercado de trabalho brasileiro entre 2000 e 2010”. Neste estudo mostra que áreas como medicina, engenharia civil e engenharia química estão entre as mais procuradas pelo mercado e tiveram grande aumento de salário na última década. 

       Durante o mesmo período, os graduados em administração, ciências da computação, marketing e farmácia registraram quedas de salário – indicando menor demanda por parte do mercado, aparentemente. Tomando como base os censos de 2000 e 2010, o relatório compara os salários dos trabalhadores que possuem nível superior em diversos setores com os dos que concluíram o ensino médio – cujo salário mensal em 2010, foi de, em média, R$ 1.317, considerando todas as profissões que exigem ensino médio para serem exercidas. 

       Em áreas como engenharia civil, por exemplo, a diferença salarial entre o profissional de nível superior e o de nível médio, que era de 200% em 2000, passou para mais de 250% em 2010. “Isso mostra que a demanda por esse tipo de profissional está aumentando mais rapidamente que a oferta, ou seja, o mercado está demandando mais engenheiros civis”, explica o diretor de Pesquisa da BRAiN, André Sacconato. Tal fato pode ser evidenciado, também, pelo fato de que o Brasil será sede de grandes eventos esportivos mundiais e que, devido à isso, a construção civil funciona a todo vapor. Devemos considerar também o crescimento urbano esperado, sendo Engenharia Civil uma ótima aposta para seu futuro.

        O mesmo raciocínio vale, por exemplo, para engenharia química, medicina e arquitetura - um aumento da demanda desproporcional ao aumento da oferta. O trabalho da BRAiN mostra ainda quais as áreas em que os trabalhadores, depois de formados, continuam atuando nos segmentos em que concluíram os cursos, as chamadas “ocupações típicas”. Os casos em que há maior aderência são medicina, arquitetura, pedagogia e reabilitação. Nessas carreiras, de 50% a 80% dos trabalhadores estão nas áreas em que se formaram. Já em segmentos como administração, artes e ciências sociais, a aderência é pequena, o que indica que mais de 90% dos formados estão atuando em outros ramos de atividade depois de concluída a graduação, talvez o fato se explique devido a baixa remuneração ou até mesmo desilução com a profissão.



Confira as profissões cujos salários aumentaram na última década:

Medicina
Militar
Engenharia Civil
Engenharia Química
Engenharia Elétrica
Engenharia Mecânica
Outras Engenharias
Ciências Sociais
Arquitetura
Estatística
Economia
Ciências Físicas
Biblioteconomia
Direito
Artes
Odontologia
Veterinária
Serviço Social
Física
Contabilidade

Profissões cujos salários diminuíram na última década:

Administração
Filosofia
Jornalismo
Marketing
Atuárias
Ciências da Computação
Farmácia
Hotelaria
Matemática
Enfermagem
Imigração


Com informações de G1

0 comentários:

Postar um comentário