Justiça nega pedido para que a nota da redação do Enem fosse desconsiderada no Sisu

A Justiça Federal do Ceará negou o pedido do procurador da República Oscar Costa Filho para que as notas da redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2011 não fossem utilizadas no Sisu (Sistema de Seleção Unificada). O juiz Leonardo Resende Martins considerou "extremamente nociva a exclusão da nota da redação do cômputo geral do resultado no Enem, inclusive para fins de inscrição no Sisu".

No pedido, feito nesta segunda-feira (2), o procurador argumentava que a nota da redação e as notas das provas objetivas não podem ser combinadas numa mesma seleção porque utilizam diferentes metodologias de cálculo.

Segundo a decisão do juiz, "subtrair da Administração Pública a possibilidade de avaliar tais competências, a pretexto de que o critério é imperfeito por não estar a prova de redação submetida à TRI, causaria grave prejuízo à política educacional e - isto sim - ofenderia o princípio da proporcionalidade".

Mudança na nota

Um estudante de São Paulo teve a nota da redação do Enem 2011 alterada de zero para 880 após pedir a revisão da prova na Justiça. Desde que o novo formato do Enem foi adotado, essa é a primeira vez que um candidato tem a nota revista.

Segundo informações do jornal Folha de S.Paulo, o MEC (Ministério da Educação) diz que não houve erro, já que "cada prova é corrigida, automática e obrigatoriamente, por dois corretores, de forma independente, sem que um conheça a correção feita pelo outro". Em caso de discordância em até 300 pontos (de zero a mil), "um terceiro examinador" atribuirá nova nota, "que prevalecerá sobre as anteriores".



Fonte: UOL

0 comentários:

Postar um comentário