Platelmintos


   Tipo de metazoários que compreende os chamados vermes chatos, devido à forma dos seus corpos cuja cavidade interior é repleta de tecido parenquimatoso. Possuem simetria bilateral, comprimento variável de poucos mm a 10 cm e ocorrem livres na terra, água, mar, ou como parasitas. As formas livres têm olhos, órgãos de defesa e musculatura para contrair e movimentar o corpo. As parasitas (Trematódeos e Cestóideos) são adaptadas para viver no corpo do hospedeiro e nutrir-se por intermédio dele. Os p., em geral, têm intestino reduzido, sem saída – os dejetos são excretados pela boca – ou não o possuem, como a tênia, que absorve nos intestinos dos hospedeiros a substâncias já digeridas. Os platelmintos são destruídos de sistemas circulatório e respiratório; são hermafroditas e se desenvolvem através de complexos estágios larvais, que requerem a passagem através de hospedeiros intermediários. Vários platelmintos parasitas intestinais possuem corpo em forma de fita segmentada, originadas numa cabeça, que possui ganchos e ventosas a fim de aderir ao intestino do hospedeiro. A característica dos platelmintos é a capacidade de regenerar-se, quando partidos, formando de cada fragmento um indivíduo completo. Daí o emprego destes vermes para experiências, como as da transmissão química da memória.

0 comentários:

Postar um comentário