Cromatina


O termo cromatina (croma, cor) designa porções do núcleo que se coram, exceto o nucléolo, e que são visíveis ao microscópio óptico. A cromatina é constituída por desoxirribonucleoproteína, que se apresenta em vários graus de condensação.
A cromatina é uniformemente dispersa (pouco condensada), no interior do núcleo, sem formar grumos. Em alguns pontos, a cromatina mostra o aspecto de filamentos.
A disposição da cromatina dentro do núcleo e o seu grau de condensação variam de um tipo celular para outro e são característicos de cada célula. Além disso o mesmo tipo celular pode apresentar a cromatina com vários graus de condensação, de acordo com o estágio funcional da célula.
O termo heterocromatina (hetero, distinto) designa as porções de cromatina que aparecem condensadas no núcleo interfásico, em contraposição à maioria da cromatina que se apresenta difusa e recebeu o nome de eucromatina.
Nos mamíferos do sexo feminino o o cromossomo X condensado é observado, no interior do núcleo ou associado ao envoltório nuclear, como uma partícula esférica que se cora fortemente, à qual se denomina de cromatina sexual. A presença ou não de cromatina sexual permite o diagnóstico citológico do sexo genético.
 

CROMOSSOMO X CONDENSADO

Nos mamíferos do sexo feminino, cada célula tem dois cromossomos X: Um de origem materna e outro paterna. A condensação de um dos cromossomos X ocorre ao acaso. Em conseqüência, o corpo feminino é um mosaico contendo possivelmente em todos os órgãos, células com o X paterno (Xp) inativo e outras com o X materno (Xm)inativo. Nos dois casos, o X inativado é transmitido nestas condição para as células-filhas.
 

Hipótese de Lyon

1. Nas células somáticas de mamíferos do sexo feminino, apenas um cromossomo X é ativo. O segundo X permanece condensado e inativo, aparecendo em células na intérfase como o Corpúsculo de Barr ( Cromatina sexual ).
2. A inativação ocorre no início da vida embrionária, mas só se completa ao final da 1ª semana de desenvolvimento.
3. Em qualquer célula somática feminina, o X inativo pode ser o paterno ou o materno. Depois que um cromossomo X foi inativado uma célula, todos os descendentes clonais daquela célula apresentam o mesmo X inativo.
A inativação do cromossomo X tem três conseqüências genéticas importantes:
  • Compensação de dosagem
  • Variabilidade da expressão em heterozigotos
  • Mosaicismo, onde as fêmeas possuem duas populações de células, nas quais um ou o outro cromossomo X é o ativo

0 comentários:

Postar um comentário