Português - Crase



Crase não é um acento gráfico.
Crase é a fusão de dois sons iguais:
preposição A + artigo A
O acento que marca a crase é o ACENTO GRAVE
Vou À Universidade.A crase ocorre para grifar a fusão dos dois sons iguais (preposição A + artigo A)
Quando ocorre a crase?
a. É necessário que a frase tenha um termo regente que exige complemento regido pela preposição A
b. O termo regido precisa admitir a presença do artigo definido feminino singular ou plural A ou As.
Exemplo:
Quem vai, vai A algum lugar.a. Verbo pede um complemento.
b. Se o complemento admitir a presença do artigo definido feminino, no singular ou no plural, haverá a fusão de dois sons iguais, o som da preposição A + o som do artigo A.
Iremos A (preposição) A (artigo definido) cidade.
Ou seja:
Iremos À cidade.O acento grave marca a fusão dos dois sons iguais: preposição + artigo.
Dicas para identificar a necessidade do uso da crase
Quando, ao trocar o substantivo que feminino para um similar no masculino, faz-se necessário o uso do artigo definido masculino singular ou plural O ou Os.
Exemplo:
Vou AO restaurante.Nota-se a presença da preposição A + o artigo O.
Sendo assim, na frase:
Vou À cidade.Existe fusão entre o artigo e a preposição de sons iguais, portanto, há necessidade de crase que deve ser marcada pelo acento grave.
Quando o substantivo próprio feminino puder ser colocado de modo que apareça a preposição PARA, verifique se, em seguida, há ou não a presença do artigo definido feminino no singular ou no plural.
Exemplo:
Vou À Itália = Vou PARA A ItáliaPercebe-se a presença da preposição PARA + o artigo A, portanto, usa-se o acento grave para marcar a crase.
Vou À Bahia = Vou PARA A BahiaPercebe-se, também, a presença da preposição PARA + o artigo A, portanto, usa-se o acento grave para marcar a crase.
Vou A Brasília = Vou PARA X BrasíliaO substantivo não admite a presença do artigo A, portanto não há ocorrência de crase.
Quando se tratar do verbo ir, utiliza-se o inverso, o verbo voltar, para verificar se na frase há ocorrência de crase.
Vou À Itália = Volto DA Itália
Vou À Bahia = Volto DA BahiaObserva-se a presença da preposição DE + A, portanto a crase deve ser marcada.
Vou A Brasília = Volto DE BrasíliaNão há a presença do artigo, logo não ocorre a crase.
VALE LEMBRAR QUE algumas vezes os nomes próprios femininos aparecem acompanhados de adjetivos ou locuções adjetivas denominados de Adjuntos Adnominais.  Se o adjunto adnominal aceitar a presença do artigo, ocorre a crase.
Exemplo:
Vou À majestosa Brasília.
Normas para o uso da crase
Só existem três casos de crase que precede a palavra masculina.
quando subtender as expressões À maneira de ou À moda de
Exemplo:
Escreve À Graciliano Ramos = À MANEIRA de Graciliano Ramos
Vestir-se À Pierre Cardin = À MODA DE Pierre Cardin
Quando tiver subentendida palavra como Faculdade ou Universidade.
Exemplo:
Enviou o atestado À Candido Mendes
Com pronomes demonstrativos (aquele / aquela / aquilo / aqueloutro) no singular ou no plural, tanto femininos como masculinos.
A+ Aquele
A+ AquelaNo exemplo existe a fusão da preposição A com a letra inicial do pronome demonstrativo “A”, pois ambos os fonemas possuem sons idênticos. Sendo assim, deve
Exemplo :
Darei o prêmio ÀQUELE aluno que obtiver a melhor nota.
Darei o prêmio ÀQUELA aluna que obtiver a melhor nota.
COM EXCEÇÃO DOS CASOS CITADOS ACIMA, A CRASE NÃO PRECEDE A PALAVRA MASCULINA, PRECEDE APENAS A FEMININA
Em Locuções Adverbiais femininas:Locuções adverbiais são duas ou mais palavras que, juntas, têm o mesmo valor de um advérbio.
Exemplo:
À direita – À esquerda
À tarde – À noite
À s claras – Às escuras
À disposição
À parte
À s ordens
À toa
À vista
Em Locuções Prepositivas:Locuções prepositivas são duas ou mais palavras que, juntas, têm o mesmo valor de uma preposição.
Exemplo:
À beira de
À custa de
À espera de
À frente de
À mercê de
À procura de
3º Em Locuções Conjuntivas:Locuções conjuntivas são duas ou mais palavras que, juntas, têm o mesmo valor de uma conjunção.
Exemplo:
À medida que
À proporção queNos casos:
Venda A prazo Venda Á vista.No primeiro caso não há crase, pois a locução é uma palavra masculina.
Mas, quando a locução for feminina, como no segundo caso, ocorre a fusão da preposição A + o artigo A, logo a crase deve ser marcada.
Quando não se marca a crase?
antes de verbo
Exemplo:
Demorou A chegar. = Demorou para chegar.
Aprender A ler.
Condições A combinar.
Caso A estudar.
Mercadorias A transportar.
O VERBO NÃO ADIMITE O ARTIGO. NUNCA COLOQUE CRASE DIANTE DE VERBOS.
antes do artigo indefinido uma
Exemplo:
Não me submeto A uma exigência dessas.A = preposição.
antes de:
a) pronomes pessoais
PRONOMES PESSOAIS:
RETOS
OBLÍQUOS
eu
me, mim, comigo
tu
te, ti, contigo
ele, ela
se, si, consigo, o, a, lhe
nós
nos, conosco
vós
vos, convosco
eles
se, si, consigo, os, as, lhes
Exemplo:
Ele se referiu A mim.A = preposição.
b) pronomes de tratamento (com exceção de Senhora ou Senhorita)
PRONOMES DE TRATAMENTO:
Vossa Alteza (V.A.) - dirigindo-se a príncipes, duques...
Vossa Eminência (V. Em.) - dirigindo-se a cardeais
Vossa Excelência (V. Ex.) - dirigindo-se às altas autoridades
Vossa Magnificência (V. Mag.) - dirigindo-se a reitores de universidades
Vossa Majestade (V. M.) - dirigindo-se a reis, imperadores...
Vossa Santidade (V. S.) - dirigindo-se ao papa
Vossa Senhoria (V. S.a.) - em tratamento cerimonioso
O senhor, a senhora, você e vocês.
Exemplo:
Peço A Vossa Excelência que...A = preposição.
c) pronomes indefinidos
PRONOMES INDEFINIDOS
Variáveis                                                Invariáveis
                                                                (referem-se a coisas)
Algum, alguma, alguns, algumas        Algo
Nenhum, nenhuma                                Tudo
Nenhuns, nenhumas                             
Todo, toda, todos, todas                      Nada
Outro, outra, outros, outras
Muito, muita, muitos, muitas
                                                               (referem-se a pessoas)
Pouco, pouca, poucos, poucas         Quem
Certo, certa, certos, certas                Alguém
Vário, vária, vários, várias                 Ninguém
Quanto, quanta, quantos, quantas    Outrem
Tanto, tanta, tantos, tantas
Qualquer, quaisquer                           
                                                              (referem-se a coisas e pessoas)
Qual, quais                                         Cada
Um, uma, uns, umas                          Que
Os pronomes indefinidos também podem aparecer sob a forma de locução pronominal:
Cada qual, quem quer que, qualquer um, todo aquele que, tudo o mais.
Exemplo:
Assisti penalizado A toda essa cena.
A cada uma.
A qualquer hora.Nos três casos: A = preposição.
d) pronomes demonstrativos
PRONOMES DEMONSTRATIVOS
Este, esta, isto (usados para o que está próximo da pessoa que fala e para o tempo presente)
Esse, essa, isso (usados para o que está próximo da pessoa com quem se fala, para o tempo passado recente e para o futuro)
Aquele, aquela, aquilo (usados para o que está distante da pessoa que fala e da pessoa com quem se fala e para o tempo passado remoto)
O, a, os, as (quando equivalem a isto, isso, aquilo ou aquele(s), aquela(s))
Exemplo:
A essa hora o comércio já fechou.
e) pronomes relativos: que – quem – cuja – cujas (com exceção de a qual e as quais)
OS PRONOMES RELATIVOS SÃO AQUELES QUE ESTABELECEM UMA RELAÇÃO DE SUBORDINAÇÃO ENTRE DUAS ORAÇÕES, E SERVEM PARA EVITAR A REPETIÇÃO DE UM SUBSTANTIVO NO MESMO PERÍODO. ELES SÃO: QUE, QUEM, QUAL, ONDE, QUANDO E CUJO.
Exemplo:
Ele trabalha na maior unidade do grupo empresarial, A qual produz sofisticados equipamentos eletrônicos.
antes de antes de numeral
Exemplo:
De 1939 A 1945A = preposição
De 11 A 20A = preposição.
NO ENTANTO, quando o numeral se referir a uma hora determinada, formando uma locução adverbial feminina, usa-se o acento gráfico para marcar a crase.
Exemplo:
Veio ÀS 3 horas.
Estarei lá ÀS 18h.
Entre substantivos iguais.
Exemplo:
Face A face.
Gota A gota.
De parte A parte.
Corpo A corpo.Obs.: A = preposição.
Quando a vogal A estiver diante de palavras no plural, mesmo que femininas.
Exemplo:
Não damos ouvidos A reclamações.
Não me refiro A mulheres, mas A meninas.
A condições variadas.
A conclusões favoráveis.
A forças ocultas.
A obras.
A matérias difíceis.
A pessoas ilustres.
Depois de preposição como:
como / ante / após / com / conforme / contra / desde / durante / entre / mediante / para / perante / sob / sobre e segundo
Exemplo:
Ante A evidência.
Após As aulas.
Mediante A força.
Para A paz.
Sob A fiscalização.
Sobre A questão.
8º Quando o substantivo feminino está subentendido no artigo indefinido uma, indicando a palavra de uma forma indeterminada.
Exemplo:
Estava entregue A terrível depressão. = Estava entregue A UMA terrível depressão.
Procedeu-se A minuciosa busca. = Procedeu-se A UMA minuciosa busca.
Casos especiais de ocorrência da crase
1º Ocorrem quando o objeto (Casa – Terra – Distância) é determinado:
A) Quando a palavra CASA referir-se a LAR, a A CASA EM QUE MORAMOS, não há crase.
Exemplo:
Voltei A casa. = Voltei DE casa.O objeto casa é indeterminado e não aceita o artigo definido “a”, portanto não há ocorrência de crase.
Mas se a palavra CASA for modificada por adjetivo ou locução adjetiva.
Exemplo:
Vou À casa de Pedro.
Refere-se Às Casas Pernambucanas.
B) Quando a palavra terra for mencionada em posição oposta ao mar, a Terra está indeterminada, portanto não há crase.
Exemplo:
O navio já regressou A Terra.A = preposição.
Mas se a palavra terra aparecer modificada por adjetivo ou locução adjetiva, ela é mencionada de forma determinada e aceita o artigo definido, portanto a crase deve ser marcada com o acento grave.
Exemplo:
Foi À terra natal.
Os aviões se dirigiram Às terras iraquianas.
C) Quando a palavra DISTÂNCIA for utilizada de forma indeterminada, não há crase.
Exemplo:
Os observadores ficam A distância.
Mas se a distância for determinada, a frase aceita o artigo definido feminino, exigindo a crase.
Exemplo:
Os observadores ficaram À distância de 200m.
D) Os PRONOMES RELATIVOS permitem a presença da preposição que se funde com a primeira a sua letra, permitindo a crase.
Exemplo:
Não conheço a cidade À qual ele se referiu.
E) Quando os PRONOMES DEMONSTRATIVOS forem precedidos da preposição A, a crase deve ser marcada.
Nos casos:
A = aquela
As = aquelas
Exemplo:
É uma situação semelhante À que enfrentamos ontem. = É uma situação semelhante ÀQUELA que enfrentamos ontem. = É um fato semelhante ÀQUELE que observamos ontem.Nos três casos acima, há a fusão do artigo A com o pronome demonstrativo que inicia com a letra A. Portanto existe a fusão de dois fonemas de sons idênticos, sendo assim, a crase é marcada.
Uso facultativo da crase
Diante de PRONOMES POSSESSIVOS femininos.
Exemplo:
Aos meus alunos e Às minhas alunas.
Aos meus alunos e As minhas alunas.Ambas as formas estão corretas.
2º Nome de mulher que figura na intimidade daquele que a menciona. Observe que a crase só se justifica quando há intimidade entre aquele que menciona e aquela que é mencionada.
Exemplo:
Declarou-se À Joana. = Declarou-se A Joana.Neste caso, Joana é uma pessoa íntima daquele que está falando. Sendo assim, o uso da crase é opcional.
No entanto, quando a mulher mencionada não for íntima do falante, não há crase.
Exemplo:
Referia-se A Selma, a nova diretora.
Neste caso, não há a presença do artigo, porque a mulher mencionada não é uma pessoa da intimidade de quem está falando, portanto, não há crase.
O uso da crase depende, então, da presença do artigo definido feminino (singular ou plural) A+ a preposição A.Depende, também,do fator de determinação ou indeterminação do objeto da frase.

0 comentários:

Postar um comentário