Resumo - O Centauro no Jardim - Moacyr Scliar

O resumo de livro serve para você relembrar, rever o que foi lido para a hora da prova. Nada substitui a leitura da íntegra do livro!

mais livros exigidos

» 

O Centauro no Jardim - Moacyr Scliar

Espaço:

A história ocorre num restaurante tunisiano, em São Paulo (SP), com lembranças de Quatro Irmãos (RS), Porto Alegre (RS) e Marrocos.

Tempo:

O livro conta os primeiros trinta e oito anos da vida de Guedali Tratskovsky, de 1935 até 1973.

Personagens:

  1. Guedali Tratskovsky: É o personagem do romance, filho de imigrantes judeus russos. Nasce centauro, vindo a crescer escondido e protegido de todos os que não faziam parte de sua família. 
    Por causa desse isolamento, acaba criando o hábito da leitura, tornando-se extremamente culto e inteligente. 
    Tem características físicas e psicológicas ora de humano e ora de cavalo.

  2. Tita: Tita: Centaura de nascimento, é a companheira de Guedali. Foi criada num universo exclusivamente feminino. 
    Como cresce isolada do mundo exterior e não tem acesso a livros, é uma pessoa agressiva, ignorante.

  3. Leão Tratskovsky: imigrante judeu russo, veio para o Brasil por causa das condições adversas da Rússia.
    Cultivava as terras da região por uma questão de necessidade e com forma de homenagear o Barão Hirsch, um homem que o ajudou a viajar até o Brasil.

 Resumo

O livro começa no restaurante tunisiano "Jardim das Delícias", onde Guedali relembra seu passado na comemoração de seu 38º aniversário. 
Seu pensamento remete a uma fazenda em Quatro Irmãos (RS) em 1935. 

Ali nasce Guedali, filho caçula dentre os quatros de um casal russo. O nascimento causa espanto na família fazendo com que sua mãe  fique vários dias de cama. 

No mesmo dia de seu nascimento decidem que vão proteger o centauro e procurar tratá-lo com o máximo de normalidade possível.

Guedali galopa muito no campo e, numa dessas vezes, encontra um índio chamado Peri. Solitário, vibra com a conquista do que imaginava ser seu primeiro amigo, mas nunca mais o vê. 

Também é descoberto por Pedro Bento, filho dos fazendeiros da fazenda vizinha. O pai, quando descobre, decide se mudar para a capital, vendo que seria muito difícil proteger Guedali dos outros no campo.

Em Porto Alegre, Guedali se vê mais preso ainda, e se limita a ler livros e observar uma garota por um telescópio. Essa situação o deixa indignado e, já com vinte e um anos, resolve sair de casa.

Vai, então para um circo, onde faz um número como se estivesse mais um irmão dentro da sua "fantasia" de centauro. 
Ao envolver-se com a domadora, ela acaba por descobrir que ele é um centauro e Guedali foge dali.

Nessa fuga, encontra Tita, outra centaura, que fugia de Zeca Fagundes, seu pai. Este a perseguia pois descobrira somente naquele dia. Guedali o mata e tem uma relação sexual com Tita. 

Vivem então na casa de Tita com Cetinha, viúva de Zeca Fagundes, quase uma mãe para eles. 
Tudo vai bem até Tita começar a se deprimir por causa de sua natureza, quando decidem ir ao Marrocos, onde poderiam tentar uma cirurgia para resolver seus problemas. 

Em Marrocos a cirurgia corre tudo bem e eles começam a caminhar sobre as duas patas traseiras, encobertas por botas e calças.

Na volta para o Brasil, passam algum tempo, na casa dos pais de Guedali, decidindo viver em São Paulo. 
Mudam-se para lá em 1960, quando Guedali e Tita compram uma casa, ele abre uma firma de importação,e levam uma vida quase normal. 

Têm gêmeos, enriquecem e fazem várias amizades. Nessa fase da vida, Guedali e Tita já não mostram o mesmo envolvimento sentimental dos velhos tempos, e Guedali se envolve com Fernanda, mulher de seu melhor amigo, Paulo, mas ninguém descobre. 

Decidem ir viver com amigos num condomínio horizontal, onde, num primeiro momento, Guedali se sente muito mal, pois o motorista do condomínio era Pedro Bento, mas este promete guardar segredo para não perder o emprego. Com o tempo o casco de Guedali racha e cai, dando origem aos pés.

Um dia, Guedali flagra Tita transando com um outro centauro. Arma-se uma confusão com a chegada dos amigos do casal, o centauro, assustado, corre e á assassinado por guardas do condomínio.

Abalado, Guedali decide ir para o Marrocos, onde pede para o velho médico marroquino reverter a operação realizada há anos atrás. O médico, com relutância, concorda. Como tinha de fazer exames e esperar o cavalo ser tratado para doar suas patas, Guedali dica no Marrocos. 

Nesse meio tempo, conhece a maior relíquia do médico marroquino: uma esfinge chamada Lolah. Esta se apaixona por Guedali que, para satisfazer seu instinto animal, se relaciona com ela todos os dias.

Passando o tempo, Guedali decide não mais se transformar em centauro. Quando se dirige ao médico para contar sua decisão, o médico aplica-lhe uma anestesia para prepará-lo para a operação. 

Por sorte, Guedali havia deixado a jaula de Lolah aberta e ela, ao notar a sua ausência tenta salvá-lo e é assassinada pelo assistente do médico. A operação é cancelada e Guedali volta para o Brasil.

Sem notificar Tita, retorna à fazenda onde nasceu e começa a construir uma vida bucólica com a ajuda de um índio que imagina ser Peri. 

Com o passar do tempo ele sente muita falta de sua mulher e também sente vontade de voltar a ser um centauro. Peri diz que é mágico e que é capaz de fazê-lo voltar à sua forma natural. 

Quando esse faz a mágica, que não dá certo, Tita aparece na fazenda para a alegria de Guedali. Depois de um tempo no campo, decidem voltar a São Paulo, convencidos por seus amigos.

Em setembro de 1973, Guedali reúne seus amigos para a comemoração de seu aniversário no restaurante tunisiano. 

Observa Tita confidenciando com uma moça. Tita está contando a história de suas vidas com uma leve distorção: como se nunca tivessem sido centau 

MORAL: A figura do centauro remete para a questão básica que autor discute: o simbolismo do homem judeu na sua dúplice característica quer racial quer religiosa.



Fonte: Vestibular1

0 comentários:

Postar um comentário