Mateus Prado analisa a primeira a primeira competência cobrada na prova de Matemática

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), diferente dos vestibulares convencionais, cobra pouco conteúdo e propõe ao aluno que compreenda fenômenos, resolva problemas e analise propostas de intervenção na sociedade. Para ajudar estudantes e professores a conhecerem melhor o exame, o iG Educação apresentará dicas sobre as competências cobradas em cada uma das quatro provas.

Começaremos pela prova de Matemática, que exige do aluno sete competências: conjunto de conhecimento e habilidades que, associados, permitem que o candidato consiga chegar com sucesso a um resultado.

A prova de Matemática é aquela que tem, no Enem, mais conteúdo. Na grande maioria das questões, é necessário que o candidato tenha o acúmulo anterior de conhecimento. Mas não se assuste, Matemática também é a prova mais honesta do exame. O conteúdo proposto é reduzido e tudo que é proposto cai na prova. Em outras palavras, para Matemática vale a pena estudar as competências propostas.

Matemática na vida dos povos
A primeira competência cobrada na prova é uma espécie de "introdução à matemática". O aluno precisa compreender que a linguagem matemática é uma construção cultural. Em determinado momento, para a vida em sociedade, foi preciso contar, somar, dividir e multiplicar, além da necessidade de representação numérica, por exemplo. As questões desta competência são simples de serem resolvidas e estão relacionadas à integração da linguagem matemática com a vida cotidiana.

Exemplo 1 – Matemática na Vida dos Povos – Competência 1 de Matemática
 
Esta questão, que foi cobrada no Enem, relaciona linguagem matemática com notas musicais.

Na questão, é cobrada a utilização dos conceitos mínimos de multiplicação e de soma de frações associada a números inteiros. 8 compassos de fórmula 3/4 tem um espaço de 24/4, que é o mesmo que 12/2 ou 48/8, ou 6.

Para preencher este espaço podemos somar 24 colcheias, que representam 24/8, mais 12 semínimas, que representam 12/4. Na verdade, tanto um como o outro representa o mesmo número. Os dois, se transformados em números inteiros, dão 3 como resultado. Podemos somar 3 e 3 e chegar a 6 e teremos o espaço preenchido. Também podemos mudar o denominador de um dos resultados e teremos 24/8 mais 24/8, que dá 48/8, que é o mesmo que 24/4, ou 12/2, ou 6.
Exemplo 2 – Matemática na Vida dos Povos – Competência 1 de Matemática

Neste outro exemplo, temos a classificação de países nas olimpíadas de 2004.

Nesses jogos, o Brasil obteve a 16ª colocação. Com mais quatro medalhas de ouro, somada as cinco conquistadas, teria nove medalhas de ouro, a mesma quantidade de Grã-Bretanha, Cuba e Ucrânia. O primeiro critério de desempate são as medalhas de prata. O Brasil conquistou duas, com mais quatro teria seis, passaria a Ucrânia e ocuparia a 12ª posição. 10 medalhas de bronze, somadas às três conquistadas pelo Brasil, não fariam nenhuma diferença na classificação.
A competência cobrada pelo Enem nos exemplos acima:

Competência de área 1 – Construir significados para os números naturais, inteiros e reais.
Confira as habilidades que são cobradas nesta competência. Lembre que é a partir de cada habilidade que são feitas as questões do Enem:
H1 – Reconhecer, no contexto social, diferentes significados e representações dos números e operações – naturais, inteiros, racionais ou reais.
H2 – Identificar padrões numéricos ou princípios de contagem.
H3 – Resolver situação-problema envolvendo conhecimentos numéricos.
H4 – Avaliar a razoabilidade de um resultado numérico na construção de argumentos sobre afirmações quantitativas.
H5 – Avaliar propostas de intervenção na realidade utilizando conhecimentos numéricos.

Fonte das Questões:
Exemplo 1 – Prova ENEM 2009. Aplicada dia 02, caderno 7/Azul, questão n° 144.
Exemplo 2 – Prova ENEM 2010. Aplicada dia 02, caderno 5/Amarelo, questão n° 143.

Via: iG

0 comentários:

Postar um comentário